Giovanni Boccaccio

Giovanni Boccaccio (1313-1375) foi um escritor da Renascença italiana. Sua obra mais importante, o Decamerão (com o subtítulo de Príncipe Galeotto), tem como pano de fundo a epidemia da Peste Negra que assolava a Europa nesse período. Sete moças (Pampinéia, Fiametta, Filomena, Emília, Laurinha, Neifile e Elisa) e três rapazes (Pânfilo, Filóstrato e Dionéio) procuraram refúgio fora da cidade de Florença por dez dias e ocuparam-se nesse período em contar histórias — algumas criadas e outras reelaboradas, num total de cem.

Continue reading

Dinastia Zhōu: “Sete Dragões Contra Sete Demônios”

A crença de que os demônios possam causar uma doença é amplamente documentada na literatura do antigo período Chou [Zhōu], bem como durante as dinastias subsequentes e dos Han [Hàn].

(INADA, 2007.)

Em seu livro Técnicas Simples que Complementam a Acupuntura e a Moxabustão, o Prof.Dr. Tetsuo Inada cita uma passagem de Paul Unschuld (Medicine in China, a History of Ideas) sobre crenças xamânicas do período da Dinastia Zhōu (c. 1046 AEC – 256 AEC) da origem sobrenatural de algumas doenças.

Continue reading

Estresse

O endocrinologista húngaro János Hugo Bruno “HansSelye (1907-1982), radicado no Canadá, conduziu pesquisas sobre a síndrome de adaptação geral e popularizou o termo estresse entre o público geral. Em sua época de graduação, na Universidade de Praga, Hans Selye havia se deparado com muitos pacientes sem um diagnóstico definido: dores, anorexia, aparência doentia, falta de concentração eram algumas das queixas mais comuns.

Continue reading

Wilheim Reich: da Psicanálise/Marxismo ao Orgônio

Wilheim Reich (1897-1957) foi um médico e psicanalista de origem austríaca de ideias e vida controversas (principalmente da década de 30 em diante). Partindo da Psicanálise freudiana ele aproximou-se de ideias sociais marxistas, procurando conciliar ambas com o objetivo de “erradicar as neuroses humanas”. Para tal ele participou de “clínicas de higiene sexual” (primeiramente na Áustria e depois na Alemanha) para orientar e libertar o proletariado da opressão moral que o impedia de atingir seu potencial revolucionário. Não demoraria muito, no entanto, para que Wilheim Reich divergisse das diretrizes do Partido Comunista (Alemão) e da Associação Psicanalítica Internacional, o que acabou acarretando que ambos o desligassem de seus quadros (em 1933 e em 1934, respectivamente).

Continue reading