A Respeito de Alguns Preços de Medicamentos, “o Céu É o Limite”

O post Pirimetamina de 16/02/2020 descreveu um caso extremo da escalada de preços (5.455,6% em 2015) do setor da Saúde nos Estados Unidos. Além da manipulação de preços de tratamentos já existentes, muitos dos novos tratamentos têm demandado complexidades crescentes e esforços cada vez maiores em pesquisa — o que se reflete no preço pedido pelos novas medicações para tratamento de câncer ou doenças metabólicas, pelos anticorpos monoclonais e pelas terapias gênicas.

Relação das “20 medicações mais caras” no mercado brasileiro conforme registro na Anvisa (03/08/2020) — excluindo-se genéricos e similares:
PMVG, sem impostos
Spinraza®
nusinersen
R$ 228.227,53
Yervoy®
ipilimumab
R$ 48.048,76
Takhzyro®
lanadelumab
R$ 45.687,51
Brineura®
alfacerliponase
R$ 76.673,42
(R$ 38.336,71 por frasco-ampola)
Hemcibra®
emicizumab
R$ 38.194,15
Besponsa®
inotuzumab ozogamicina
R$ 34.419,21
Strensiq®
alfa-asfotase
R$ 165.339,74 [80 mg]
(R$ 13.778,31 por frasco-ampola)
Nota: outras apresentações custam R$ 37.201,44 [R$ 3.100,12 por frasco-ampola com 14 mg] e R$ 57.868,91 [R$ 4.822,41 por frasco-ampola com 28 mg]
Mavenclad®
cladribina
R$ 41.197,52
(R$ 6.866,25 por comprimido)
Lamzede®
alfavelmanase
R$ 47.118,50
(R$ 4.711,85 por frasco-ampola)
Translarna®
atalureno
R$ 87.803,80
(R$ 2.926,79 por envelope)
Symdeko®
ivacaftor + tezacaftor
R$ 47.681,55
(R$ 1.702,91 por comprimido)
Sovaldi®
sofosbuvir
R$ 41.226,70
(R$ 1.472,38 por comprimido)
Harvoni®
sofosbuvir + ledipasvir
R$ 38.078,39
(R$ 1.359,94 por comprimido)
Cerdelga®
eliglustat
R$ 73.791,89
(R$ 1.229,87 por cápsula)
Erfandel®
erdafitinib
R$ 49.986,71
(R$ 892,62 por comprimido)
Kalydeco®
ivacaftor
R$ 49.959,39
(R$ 892,13 por comprimido)
Viekira®
veruprevir + ritonavir + ombitasvir + dasabuvir
R$ 43.188,97
(R$ 771,23 por comprimido)
Xospata®
gliteritinib
R$ 60.242,85
(R$ 717,18 por comprimido)
Vyndaqel®
tafamidis
R$ 53.748,63
(R$ 447,91 por cápsula)
Rydapt®
midostaurina
R$ 42.289,26
(R$ 377,58 por cápsula)

O Spinraza® (nusinersen) é, por uma larga margem, o medicamento registrado com preço mais alto no País. Ao menos até termos o registro do Zolgensma® (onasemnogene abeparvovec-xioi), que custa US$ 2.125.000 nos EUA. Ou o do Luxturna® (voretigene neparvovec) com o custo de US$ 425.000 por olho.

Aparentemente a Chiesi Farmaceutici e a uniQure (empresa que adquiriu os ativos da AMT em 2012) esbarraram no limite imposto por um custo extremamente alto de pesquisa e desenvolvimento de uma terapia gênica para uma doença muito rara (a hiperlipoproteinemia tipo I [ou deficiência de lipoproteína lipase], com prevalência por volta de 1 caso em 1.000.000 pessoas).

Até 2017 (quando a licença do Glybera® [alipogene tiparvovec] dentro da União Européia se encerrou, e não foi renovada) apenas 31 pacientes haviam recebido a medicação — destes, um único paciente recebeu tratamento fora de estudos de Fase IV a um custo de € 900.000. E devido aos custos extras adicionais de novos estudos exigidos pelo FDA acabou se decidindo não solicitar licenciamento no mercado americano.

Se, por um lado, o investimento precisa “se pagar”:

… Van Deventer [dr. Sander van Deventer, executivo da AMT e depois diretor científico da uniQure] says the company never considered lowering the price.

“Why would we? Pricing shouldn’t be a political decision. It should be a rational decision based on merits and values,” he said. “Hundreds of millions of investor money has gone into the company, and if there is no return for those investments, there will be no new drugs because nobody’s going to do that in the future, right?”

(CROWE, 2018.)

O custo, por outro lado, é um dos componentes da viabilidade do produto:

… In the end, Glybera was defeated not by science but by the harsh reality of the drug business. It’s not enough for a drug to be effective; it has to be profitable, too.

“It’s kind of the law of nature,” Kastelein [dr. John Kastelein, um dos descobridores da mutação genética responsável pela hiperlipoproteinemia tipo I e co-fundador da AMT] said.

“If it’s not commercially viable to produce a certain therapy, unfortunately, in our Western society, it does not happen.”

(IDEM.)

Nota:

Vide atualização dos casos do Zolgensma® e do Luxturna® no País em Nomenclatura das Terapias Gênicas (17/01/2021).


Bibliografia:

Chase, Lauren; van Meijaard, Jeroen; Marsh, Tori. The 10 Most Expensive Drugs in the U.S., Period. GoodRx. 25/08/2020. Consultado em setembro de 2020.
Crowe, Kelly. The million-dollar drug. CBC News. 17/11/2018. Acessado em setembro de 2020.
Regalado, Antonio. The World’s Most Expensive Medicine Is a Bust. MIT Technology Review. 04/05/2016. Acessado em setembro de 2020.
Warner, Evelyn. Goodbye Glybera! The World’s First Gene Therapy will be Withdrawn. Labiotech.eu. 20/04/2017. Acessado em setembro de 2020.
Lista de preços de medicamentos – Anvisa. Anvisa – Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Última atualização em 03/08/2020. Acessado em setembro de 2020.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.