Sobre a Relação entre Órgãos (Zàng [脏]), Vísceras (Fǔ [腑]) e Seus Respectivos Meridianos

O estudo das teorias tradicionais da Acupuntura evidencia uma diferença bastante evidente na relação interna dos Zàng Fǔ [脏腑] e com os respectivos Meridianos: enquanto nos membros inferiores a relação interna entre os Zàng e os Fǔ encontra correspondência na relação entre os respectivos Meridianos, nos membros superiores a relação entre os Meridianos (e entre os Meridianos e os Fǔ) obedeceu muito mais a considerações da Filosofia que da Fisiologia (vide tabelas abaixo).

Relação entre Meridianos Yīn e Meridianos Yáng dos membros inferiores
Zàng [脏] e o Meridiano correspondente Fǔ [腑] e o Meridiano correspondente
Pí [脾] Wèi [胃]
Gān [肝] Dǎn [胆]
Shèn [肾] Pánɡɡuānɡ [膀胱]
Relação entre Meridianos Yīn e Meridianos Yáng dos membros superiores
Zàng [脏] e o Meridiano correspondente Fǔ [腑] e o Meridiano correspondente
Fèi [肺] Dàcháng [大肠]
Xīnbāo [心包] Sānjiāo [三焦]
Xīn [心] Xiǎocháng [小肠]

Além dos manuscritos mais antigos descobertos em Ma Wang-dui (anteriores ao Huang Qi Nei Jing) nomearem os Meridianos Yáng dos membros superiores como “Meridiano do Ombro”, “Meridiano dos Dentes” ou “Meridiano da Orelha”, na prática clínica o tratamento dos Padrões de Desarmonia de Xiǎocháng e Dàcháng utiliza pontos dos Meridianos Pí e/ou Wèi. E o uso dos pontos do Meridiano Xīnbāo raramente obedece à função atribuída a este Zàng de “proteção do Imperador dos Órgãos”.

Aparentemente o atual arranjo da relação entre os Meridianos dos membros superiores, que aparece nas tabelas citadas acima, serviu muito mais para estabelecer uma simetria entre Meridianos dos membros inferiores com os dos superiores, para isso necessitando do acréscimo do Meridiano Sānjiāo (correspondendo a uma “função sem forma definida”).

Conforme citado no Nan Jing (grafado como “Nan-ching” na tradução utilizada):

A Vigésima Quinta Dificuldade:

Existem doze condutos, porém os cinco depósitos e seis palácios [do corpo totalizam somente] onze. De que natureza é o conduto [que falta]?

É assim. Um dos condutos abrange o [vaso] Yin Menor da Mão [C] e o [vaso] Mestre do Coração [Pc] como vasos separados. O Mestre do Coração e o Triplo Queimador [TA] representam exterior e interior. Ambos têm nome, mas não têm forma. Por isso, fala-se em doze condutos.

Essa simetria forçada nunca foi resolvida satisfatoriamente ao longo da história da Medicina Chinesa, apesar de alguns sistemas mais “heterodoxos” — como, por exemplo, o sistema do Mestre Tung — se afastarem do modelo “6 Zàng e 6 Fǔ”.


Bibliografia:

Kaptchuk, T. The web that has no weaver: understanding Chinese Medicine. New York: Mc-Graw-Hill, 2000. p. 132.
Ross, J. Zang Fu: sistemas de Órgãos e Vísceras da Medicina Tradicional Chinesa. São Paulo: Roca, 1994. p. 179.
Nan-ching: o clássico das dificuldades. São Paulo: Roca, 2003. p. 192.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.